ARTE ANATÔMICA

 

nasci na sina as-

sim (recém-sen-

 tido, um siamês

ao semi-, em si,

 

à sós, além) se,

sêmen a sêmen,

me assinalo, só,

refém de genes:

 

regenerrando 

 

 

ninho ósseo onde me inflo onde me inalo influencio ou me fixo

o nicho isso onde me estranho onde me acho ou onde me dôo

onde me finjo e asfixio onde me exalo e onde me exijo: exilado

sou sósia do fóssil onde me extingo – um dia ainda me consigo

 

 

 

O RISO NO SONO

 

o riso no sono: sonoro:

risca. rasga o lábio como

estilhaço ou farpa. eco

 

e faísca no céu da boca.

raspa a língua. fisga.

a maresia na mandíbula

 

escoa. o clima é rouco

e excita. rompe em aftas:

bombardeios da saliva

 

FRUTO DO FÔLEGO

dilata: infla: flutua: venta

 o riso é órfão e resseca  

 

 

 

CULTIVOS DO ACASO

 

um homem sem a sua casa

     é o começo de um circo

         (Fábio Brüggemann)

 

 

a casa começa no caos

sendo acaso, cálculo, coito

como sacas de cal ou sinais

escavados, caiados nos ocos

 

a casa começa no ocaso

sem onde ou como, nem cume

a casa acaba em cancela

sendo cela, cais de confins

 

o cultivo da casa: motins

 

 

NINFOGRAFIA

 

mínimos lábios

elíseos

 

lâmina a língua

eólia

 

lá,

a lábia baila

 

ali,

a lua é líbia

 

além,

as duas etiópias

 

intumescidas

BETUME DA JUDEIA

 

a minha origem mineral, feixe de palha,

embebida em óleos leves, inflama-se – Osíris,

por quem as tochas na cidade egípcia:

acesa: na entranha a figura de óleo e de água

transmigra nas formas da virgem Maria:

a romaria na rua abrasa-me a íris ainda

em Santa Catarina, Petrolândia: Sexta Santa:

 

um Vice-prefeito viu pedras que esfumam

ou nublam-se em chapas de ferro e em brasa,

em círios, névoa, nimbo: tremor no interior

dos tímpanos: o aroma úmido de bússolas

e uns helicópteros na costeira, em buscas

de corpos e origens: ou almas, sísmicas, onde

 

     as histórias geológicas se misturam

     no refino do fóssil de todos os dias

 

diz-me um da Economia: milênios

se consomem, de Uruk ao Iraque,

e ele, consumidor se consumindo,

consome-se na leitura dos astros:

Varuna, por exemplo, é recente

no Sistema de lucros e desastres:

 

bálsamo da terra: betume: breia: alcatrão: azeite:

asfalto: óleo mineral: óleo de rocha: óleo da terra:

resina: lama: pissasfalto: óleo de São Quirino:

de Sêneca: de Medeia: piche de Trinidad: pez de

Barbados: múmia: nafta: malta: óleo de Rangum:

nafta da Pérsia: betume da Judeia.

 

a minha origem, animal, afunda em poços

            além do nado ou das sondas

mais hidrogênio que algas, ondas de rádio

            nas ondas – homem de vento,

 

                     extraio sol de onde não tenho